Boipeba
Boipeba - Praia do Tassimirim
Boipeba - Piscinas Naturais
Boipeba - Praia da Cueira
Boipeba - Piscinas em Moreré
Boipeba - Praia da boca da barra
Boipeba - Praia de Moreré
Boipeba - Moreré
Boipeba - Praia do Tassimirim
Boipeba - Cova da Onça
Boipeba - Grauça em Moreré
Boipeba - Polvo no Tassimirim
Boipeba - Estrela do Mar
Boipeba - Passeio de Canoa
Boipeba - Polvo
Boipeba - Museu de Ossos
Boipeba - Roldão de dendê
Boipeba - igreja
Boipeba - Manguezais
Boipeba
Boipeba - Bromélias

BOIPEBA

Situada ao sul de Salvador no Arquipélago de Tinharé uma área de proteção ambiental (APA), composto por trinta e seis ilhas, sendo as três maiores e habitadas a Ilha de Tinharé, Ilha de Boipeba e a Ilha de Cairu. Cercada pelo Oceano Atlântico de um lado e a foz do Rio do Inferno do outro, Boipeba é um paraíso ainda preservado e escondido na Bahia.

O local é paradisíaco, reunindo 20 quilômetros de praias semi-desertas como as praias do Tassimirim, Cueira, Moreré, Bainema e a mais deserta de todas Ponta dos Castelhanos, piscinas naturais, águas mornas, manguezais e uma extensa área de vegetação nativa da Mata Atlântica faz de Boipeba o paraíso a ser descoberto.
Praia lotada? Em Boipeba não, a faixa de areia é limpa e espaçosa, garantindo um lugar reservado ao sol, ideal para o descanso e o relaxamento. Entre os povoados com casas de pescadores e bancos de areia no meio do mar, Boipeba é perfeito para fugir da correria da cidade, andar descalço na areia, relaxar e esquecer dos problemas.

As praias de Boipeba

Boca da Barra - Na Ilha de Boipeba as praias são as maiores atrações para se visitar. A Boca da Barra é a mais movimentada, contendo algumas das melhores pousadas de Boipeba e os quiosques mais frequentados da Ilha. Fica pertinho da vila, nesta praia as águas do rio do inferno se encontram com o mar.

Outeiro
- Ao lado da praia Boca da Barra fica a praia do Outeiro, que nos dá uma idéia de beleza e extensão das praias que virão logo a seguir.
Separada da Praia da Boca da Barra apenas por uma pequena curva onde a água já começa a clarear e formar boas áreas para banho na maré alta. Algumas das boas pousadas da ilha encontram-se nesta praia.

Pedrinhas
- Saindo da praia do Outeiro, passando por uma trilha que também dá acesso às outras praias, encontramos uma pequena praia cheia de pedrinhas lisas e redondas, daí o nome de praia das Pedrinhas, há apenas um restaurante e uma pequena pousada nesta praia.

Tassimirim - A mesma trilha da praia das Pedrinhas nos leva à praia de Tassimirim, com seus vastos coqueirais e recifes onde diariamente nativos da ilha tiram seu sustendo através da pesca nessa praia. Na maré baixa forma-se piscinas naturais pouco freqüentada, uma boa opção para alugar um snork e mergulhar nas águas rasas e claras desta praia. Vale à pena visitar a Barraca Tassimirim de uma nativa chamada Dona Antonina que ainda cozinha com seus filhos em forno á lenha e em panela de barro.

Cueira - Na continuação da praia de Tassimirim chegamos à praia da Cueira, considerada a mais fotogênica de todas as praias da ilha. É uma praia extensa, de areia branca e cercada por coqueiros. Boa pra banho e utilizada pelos jovens nativos na prática do surf. No final desta praia chega-se ao Rio do Oritibe, onde só é possível cruzá-lo na maré baixa e devidamente calçado, pois no fundo do rio possui algumas ostras.

Moreré - È um reduto de descanso, ideal para quem busca paz e serenidade, durante o dia as piscinas naturais pedem uma visita para mergulho esportivo com snork onde é possível contato inesquecível com os peixinhos chamados de capiaçava que deixam boquiabertos qualquer visitante. Em Moreré há uma pequena vila de pescadores, menor que a vila de Boipeba, habitada por famílias que vivem basicamente da pesca e artesanato. A Praia de Moreré está entre as praias mais bonitas do Brasil, classificada pelo Guia Quatro Rodas, aqui é para esquecer-se da civilização, viver em um ambiente rústico e paradisíaco.

Bainema - Na praia de Bainema não há pousadas nem restaurantes, apenas algumas casas de veraneio. É uma praia extensa e praticamente deserta, cheia de coqueirais e piscinas naturais, com águas bastante calmas. No final desta praia mora um nativo pescador com sua família em uma cabana montada na beira da praia há alguns anos. Vale a pena conhecer o coqueiro com duas galhas e as piscinas naturais do Bainema que ainda é muito preservada.

Ponta dos Castelhanos - A praia de Ponta dos Castelhanos é um lugar semi-deserto, sem infra-estrutura turística, área repleta de recifes e corais formando piscinas naturais pouco freqüentada e ainda muito preservada. Vale a pena visitar o Rio do Oritibe onde possui um rico ecossistema, três tipos de mangue, crustáceos como caranguejo, siri, lambreta entre outros.
O nome desta praia vem do famoso naufrágio ocorrido no ano de 1534, do navio espanhol “Madre de Diós”.

Os Povoados de Boipeba

Velha Boipeba
Na vila de Velha Boipeba ainda é possível encontrar casas feitas de pau-a-pique, como antes a maioria das casas por aqui eram feitas nesse estilo. Na Rua do Ribeirinho, em frente a um belo jardim encontra-se o Museu de Ossos, que reúne um acervo de curiosidades da ilha, incluindo ossos de baleia e de vários outros peixes; o responsável por esse museu é um senhor muito simpático conhecido por todos como Sr. Tavinho.
Há ainda o patrimônio histórico, como a Igreja do Divino Espírito Santo, construída pelos padres jesuítas. A igreja reúne altares neoclássicos e azulejos com temas bíblicos.
Além disso, é possível conhecer a Casa de Farinha, ainda em estilo colonial, onde até hoje se fabrica a farinha de mandioca, muito usada na culinária baiana; e o Roldão, lugar onde é produzido o azeite de dendê.
Outra opção para se conhecer na vila é o Morro do Quebra Cu, um mirante onde é possível visualizar toda a ilha, aos fins de tarde o pôr do sol visto do mirante é espetacular.

Monte Alegre
Pertinho de Moreré fica a vila de Monte Alegre, tão pequena quanto a sua vizinha Moreré, possui a mesma rusticidade e um estilo de vida bem pacato. Essa vila foi formada através de escravos que fugiam de seus senhores e acabaram se refugiando e formando quilombos, onde hoje é a vila de Monte Alegre. Em 2006 foi reconhecido como comunidade Quilombola pela Fundação Palmares.

Moreré
Situada a Leste da ilha, é uma das principais comunidades de pescadores de Boipeba. É um vilarejo menor que Velha Boipeba, casas de pau-a-pique, fogão à lenha, poucas ruas e cerca de 100 moradores. Sua estrutura é bem interessante, não possui ruas calçadas, o desembarque de pessoas é feito na praia e um telefone público é usado por todos os moradores. Dispõe de três boas pousadas e restaurantes à beira mar.

São Sebastião ( Cova da Onça )

Ao sul da Ilha de Boipeba fica o povoado de São Sebastião, mais conhecido como Cova da Onça. Esse nome é devido a uma cova escavada pelos padres jesuítas no século XVII, utilizado por eles para se esconderem dos índios quando os atacavam. Esse túnel diz a lenda que liga São Sebastião à vila de Boipeba, saindo mais precisamente na Igreja do Divino Espírito Santo, porém essa parte da abertura do túnel foi fechada, onde hoje é o altar da Igreja. São Sebastião também é uma vila de pescadores onde a maioria é descendente de holandeses.

Os Passeios em Boipeba

Em Boipeba existem inúmeras opções de passeios, começando pelas praias que se entendem por 20 km de extensão com uma enorme variedade no seu ecossistema. A história do local é bem interessante, caminhar pelas ruas do vilarejo conhecer pessoas como o senhor Tavinho "cabeleira" que possui em sua casa uma espécie de museu de ossos de baleia.

A canoa de pescadores subindo o rio da Piã entre os canais estreitos e longo de manguezais nos aproxima das variedades de crustáceos que vivem no mangue. As caminhas pelo centro da ilha é encantador por causa da mata atlântica e suas enormes arvores centenária.

Como Chegar em Boipeba

Avião saindo do Aeroporto Internacional de Salvador para Boipeba em apenas 30 minutos de voo, R$ 374,00 por pessoa e por trecho:

Salvador / Boipeba
Horários: 08:30 - 12:30 e 15:30

Boipeba / Salvador
Horários: 09:15 - 13:15 e 16:15

Transporte Marítimo com Jipe 4X4 - via Morro de São Paulo
Saídas do terminal marítimo de Salvador com destino á Morro de São Paulo de catamarã levando em média 2hs de viagem. Chegando em Morro de São Paulo seguiremos caminhando do porto até a segunda praia, onde partem os jipe toyota para Boipeba, levando em média de 1 hora de viagem.

Transporte Rodoviário - via Itaparica e Valença
Saindo do aeroporto de Salvador até o terminal marítimo onde pegaremos o barco para atravessarmos para Ilha de Itaparica, em Itaparica pegaremos outro carro até a cidade de Valença onde partem as lanchas rápidas para Ilha de Boipeba diariamente.


Visite nosso portal completo de Boipeba!